Brasil atinge em agosto 17 GW de energia solar, 3ª maior fonte do País

O Brasil acaba de atingir a marca de 17 gigawatts (GW) de potência instalada de energia solar, uma fonte que desde fevereiro deste ano tem crescido 1 gigawatt por mês, informou a Associação Brasileira de Energia Solar (Absolar) nesta sexta-feira (5).

Entre sistemas de grande porte e instalações em telhados, fachadas e pequenos terrenos, a chamada geração distribuída (GD), a energia solar corresponde a 8,4% da matriz elétrica do País, ficando atrás apenas das usinas hidrelétricas e eólicas, sendo hoje a terceira principal fonte de geração de energia elétrica do Brasil.

Somadas as capacidades instaladas das grandes usinas e da geração própria de energia, a fonte solar ocupa o terceiro lugar na matriz elétrica brasileira, à frente das termelétricas movidas a gás natural e biomassa. A tecnologia solar é utilizada atualmente em 98% de todas as conexões de geração própria no País, liderando com folga o segmento.

Segundo a Absolar, desde 2012 já foram investidos R$ 90,5 bilhões no setor, gerando R$ 24,6 bilhões em arrecadação para o governo e mais de 514 mil empregos. Isso também evitou a emissão de 25,5 milhões de toneladas de CO2 na geração de eletricidade, informa a entidade.

“A fonte (solar) ajuda a diversificar o suprimento de energia elétrica do País, reduzindo a pressão sobre os recursos hídricos e o risco de ainda mais aumentos na conta de luz da população”, avalia o presidente da Absolar, Rodrigo Sauaia.

Ele destaca que as usinas solares de grande porte geram eletricidade a preços até dez vezes menores do que as termelétricas fósseis emergenciais ou a energia elétrica importada de países vizinhos, duas das principais responsáveis pelo aumento tarifário sobre os consumidores.

O Brasil possui aproximadamente 5,3 GW de potência instalada em usinas solares de grande porte. Desde 2012, as grandes usinas solares já trouxeram ao Brasil mais de R$ 27 bilhões em novos investimentos e mais de 158 mil empregos acumulados, além de proporcionarem uma arrecadação de R$ 8,7 bilhões em receita tributária.

No segmento de geração própria de energia, são mais de 11,9 GW de potência instalada da fonte solar. Isto equivale a mais de R$ 63 bilhões em investimentos, R$ 15,9 bilhões em arrecadação de impostos e mais de 356 mil empregos acumulados desde 2012, espalhados pelas cinco regiões do Brasil.

Segundo Ronaldo Koloszuk, presidente do Conselho de Administração da Absolar, além de competitiva e acessível, a energia solar é rápida de instalar e ajuda a aliviar o bolso dos consumidores, reduzindo em até 90% seus gastos com energia elétrica. “Energia elétrica competitiva e limpa é fundamental para o País recuperar a sua economia e conseguir crescer. A fonte solar é parte desta importante solução”, conclui.

Via Tribuna do Norte

Qual sua opinião?