Projeto de Sandro Pimentel reserva vagas em empresas do RN para negros e indígenas

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte aprovou nesta semana um projeto de lei que prevê ações afirmativas para autodeclarados negros ou indígenas que se candidatarem em vagas de trabalho oferecidas em empresas que recebam incentivos fiscais no Rio Grande do Norte.

A iniciativa, proposta pelo deputado estadual Sandro Pimentel (PSOL), é inédita no Estado e pioneira no Brasil e tem como meta auxiliar no combate às desigualdades históricas decorrentes do racismo. Ao justificar o projeto, Sandro Pimentel afirmou que vários estudos apontam que o fato de os negros terem sido escravizados no País por mais de 300 anos e a falta de políticas públicas eficazes para este público são os principais fatores responsáveis pelo atual estado de desigualdade entre brancos e negros no Brasil.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 8 a cada 10 integrantes do grupo dos 10% mais ricos do País são brancos. Já entre os 10% mais pobres, a proporção se inverte: 8 a cada 10 são negros. Na educação, a desigualdade entre brancos e negros é profunda. Apenas 8,8% da população negra com mais de 25 anos frequentou uma faculdade. Para a população branca, esse índice é de 22,2%.

Os números mostram também que, entre 2012 e 2017, não houve nenhuma mudança substancial na diferença de rendimento entre negros e brancos. Ou seja, os dados evidenciam que não há avanço no combate à desigualdade racial no País.

Jornal Agora RN

Qual sua opinião?