Maior parte de quem tenta carreira de professor entra em curso à distância

A ONG (Organização não Governamental) Todos Pela Educação divulgou nesta 5ª feira (15.ago.2019) 1 estudo (íntegra) sobre a formação inicial de professores no Brasil. O levantamento mostra que a maioria dos novos alunos que entram em cursos ligados à carreira de professores optam por EAD (Educação à Distância). Os cursos considerados pela pesquisa foram os de Pedagogia e licenciaturas.

Na rede privada, de 2010 a 2017, o número de estudantes que ingressam anualmente nos cursados ligados à carreira de docente dentro da modalidade EAD subiu de 128,5 mil (29% do total de ingressantes da rede pública e privada) para 336,1 mil (53%). O crescimento nesses 7 anos foi de 162%.

Como comparação, apenas 8% dos alunos que optam por carreiras ligadas à docência ingressa em cursos à distância nas instituições públicas. Em números, isso representa 50,9 mil estudantes. 

Os 39% de ingressantes nessas faculdades que optam pela modalidade presencial estão divididos de maneira igualitária entre a rede pública (19%) e a privada (20%).

PEDAGOGIA INFLUENCIA

O curso de pedagogia foi o que teve a maior representatividade nessa transferência de maioria na modalidade EAD. Foram 102,3 mil novos alunos nessa categoria em 2017. Dos 208 mil estudantes que ingressaram na EAD para disciplinas focadas na carreira acadêmica, 49,2% foram de pedagogia.

O curso tem praticamente o triplo de adesões de novatos à categoria EAD que o 2º colocado, o de educação física (35.200). Completa o pódio a faculdade de matemática, com 15.100 alunos.

FORA DA CARREIRA ACADÊMICA

Em cursos que não são voltados para a formação de professores, o percentual de novos alunos que optam pelo ensino à distância cai drasticamente. Enquanto nas carreiras ligadas à docência essa representação é de 61%, nos demais cursos o índice é de 27%. Contudo, o percentual mais que dobrou desde 2017, quando apenas 10% dos novos alunos estavam na EAD.

Fonte: Poder360

Qual sua opinião?