Na Paraíba, hospital pode ser interditado por falta de anestesistas

Hospital é filantrópico e realiza cerca de três mil atendimentos por mês (Foto: Divulgação)

O Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) fiscalizou o Hospital e Maternidade Flávio Ribeiro Coutinho, em Santa Rita, e constatou a quantidade insuficiente de médicos anestesistas na unidade de saúde. De acordo com a escala médica apresentada pela direção do hospital, não há profissionais desta especialidade contratados para as 24 horas de funcionamento do hospital.

Por causa disso, o CRM-PB estabeleceu um prazo até o dia 25 de julho para que o problema seja resolvido. Caso contrário, os médicos que atuam no hospital serão interditados eticamente pelo Conselho.

“Um hospital geral e maternidade deste porte não pode funcionar sem anestesista. Se um paciente ou uma gestante chegarem precisando de cirurgia, em um período que não haja anestesista, como proceder? A Prefeitura de Santa Rita tem que resolver isso o mais rápido possível”, disse o diretor de Fiscalização do CRM-PB, João Alberto Pessoa.

O diretor do CRM-PB explicou que, após a visita, a falta de anestesistas 24h foi resolvida parcialmente, com um acordo feito entre a direção do hospital e a Cooperativa dos Anestesistas da Paraíba (Coopanest PB), que se comprometeu em suprir os plantões até o dia 25 deste mês. O CRM-PB vai elaborar um relatório de fiscalização ao hospital e encaminhar ao Ministério Público Federal e Estadual, Secretaria de Saúde de Santa Rita e direção do hospital.

Do Portal Correio

Qual sua opinião?