Saúde de Guamaré presta contas das ações de controle da dengue e leishmaniose visceral

A Secretaria Municipal de Saúde de Guamaré contabiliza um saldo positivo, neste primeiro bimestre de 2021, em relação ao cumprimento de metas bimensais, conforme as normas pactuadas, no controle vetorial dos mosquitos Aedes aegypti e Flebotomíneo, este último, transmissor da leishmaniose visceral.

Os trabalhos tiveram início, ainda no dia 04 de janeiro, nas áreas zoneadas, na cidade e zona rural, sendo priorizadas as áreas mais vulneráveis, para a transmissão das arboviroses (dengue, zika vírus, febre chikungunya e febre amarela). O fato dos agentes de endemias já conhecerem o perfil epidemiológico das áreas de atuação facilitou o trabalho.

O primeiro ciclo de visitas em campo nos imóveis públicos e privados foi concluído no dia 26 de fevereiro. “Foram feitas também visitas nos imóveis de pacientes suspeitos de arboviroses, além de visitas técnicas nas áreas alagadas, assim como ocorreu à distribuição de peixes do tipo goopy para o controle biológico”, explicou Secretário de Saúde, Fabrício Morais.

As palestras educativas nas Unidades Básicas de Saúde e nas escolas do município, por enquanto, permanecem suspensas, atendendo às recomendações do Ministério da Saúde, em evitar aglomeração para conter o avanço da COVID-19. Nesse período, a Secretaria de Saúde juntamente com Vigilância Ambiental realizaram uma blitz educativa, no mês de fevereiro, com objetivo de conscientizar a população sobre as medida preventivas no combater ao mosquito Aedes Aegypti.

“As chuvas nos meses de janeiro e fevereiro foram de pequena intensidade no município e não teve alagamento, no entanto, esses locais estão sendo monitorados semanalmente pela equipe para evitar a proliferação do vetor no local”, esclareceu Fabrício Morais.

A Secretaria de Saúde também esclarece que, atendendo as recomendações do Ministério da Saúde, continuam suspensas as visitas nas residências dos idosos acima de 60 anos de idade, para evitar a probabilidades de adoecimento do grupo prioritário. “Estão sendo permitidas as inspeções dos agentes na área externa dos imóveis, com o distanciamento mínimo de dois metros do morador. O uso de EPI é fundamental para evitar a propagação da Covid-19”, concluiu Fabrício Morais.