Mato Grande: Atendimento obstetrício está sendo regulamentado para o Hospital Regional de Macaíba

O serviço de obstetrícia no hospital municipal de Ceará-Mirim foi suspenso a partir do dia 02 de fevereiro para os 22 municípios do Mato Grande que fazem parte da pactuação que envolve, governo do Estado e prefeituras, está sendo direcionado para o Hospital Regional de Macaíba.

Vinte e duas cidades vinham usufruindo desse serviço através de uma espécie de consorcio que bancava os custos juntamente com o governo do estado que também bancava uma parte do dinheiro, mas as despesas aumentaram e as prefeituras querem agora uma maior participação do governo do estado.

Com a suspensão do atendimento no Hospital de Ceará-Mirim, as mulheres que chegarem aquela unidade hospitalar serão encaminhadas ao Hospital Regional de Macaíba após passarem pela regulação. O hospital Dr. Percílio Alves atendia em média 10 pacientes de municípios da região.

De acordo com o convênio os municípios arcavam com 60% dos gastos e o governo do estado com os 40% restante, mas a prefeitura de Ceará-Mirim alega que não está sendo mais possível manter esse serviço com o repasse que esta sendo feito pelo estado.

“O governo do estado realmente não deixou de repassar os recursos, mas a questão não é o repasse do estado, a questão é que agente gostaria que acontecesse o mesmo formato que aconteceu  pra gente implantar esse serviço que era, o governo do estado dava 40% e os 60% era rateado entre os municípios pactuantes, isso é o que agente está pleiteando que aconteça, porque não é justo que essa conta vá só pra os municípios”, argumentou a secretária adjunta da saúde de Ceará-Mirim ao G1 RN.

Segundo a Secretaria de Saúde do Estado são repassados todos os meses para a Secretaria de Saúde de Ceará-Mirim, R$ 240 mil pelo estado e que esse recurso vem sendo repassado com frequência, não sofreu nenhum atraso e que a prefeitura de Ceará-Mirim teria argumentado pra interromper o serviço que alguns municípios pactuado não estariam fazendo o repasse da contribuição para que os serviços fossem mantidos.

Com informações do G1 RN