Projeto para vigilância em bancos recebe sugestões da sociedade

70A proposta para a ampliação da segurança nos caixas eletrônicos do Rio Grande do Norte recebeu, na tarde desta quarta-feira (18), sugestões para o aperfeiçoamento. Durante a audiência pública proposta pelo deputado George Soares (PR), autor do projeto, representantes de setores da segurança pública elogiaram o projeto de lei e contribuiram para a matéria, que vai tramitar no Poder Legislativo.

Reunindo representantes de vigilantes de empresas de segurança privada, membros da Polícia Federal, da Secretaria de Segurança do Estado, Ministério Público e outras entidades representativas de classe, a audiência discutiu possibilidades para o aperfeiçoamento do projeto de George Soares, que visa determinar a permanência de segurança armada por 24 horas nos caixas eletrônicos em todo o Rio Grande do Norte. Para os presentes, é preciso mais estrutura para o trabalho dos profissionais.

A falta de cumprimento da lei municipal que trata do assunto foi um dos pontos criticados. Apesar de diversas denúncias ao Ministério Público sobre o caso, ainda não houve uma atitude capaz de garantir a presença dos vigilantes nas agências no período da noite. Além disso, a falta de obrigatoriedade de portas giratórias também foi um fator sugerido para ser acrescentado ao projeto.

“Lógico que a presença de vigilantes não vai evitar todos os crimes, mas vai inibir que boa parte deles ocorram. Mas é preciso que seja obrigatória a presença de portas giratórias. Para um vigilante, qualquer pessoa que entra em uma agência é um cidadão. Bandido não tem mais cara de bandido”, explicou o representante da Polícia Federal na audiência, Edvan Pedro de Melo.

No entendimento do deputado George Soares, a presença de câmeras de segurança não têm contribuído de maneira significativa para inibir crimes, apesar de ainda serem importantes para desvendar os assaltos. Para o parlamentar, “não há segurança sem a vigilância humana” e todas as sugestões apresentadas serão analisadas para que possam ser contempladas no projeto de lei.