Pacientes transplantados sofrem com falta de medicamentos e fazem protesto em Natal

Remédio está em falta para alguns pacientes desde novembro. Previsão de chegada foi adiada desta sexta para 5 de fevereiro. Unicat diz que aquisição é feita pelo Ministério da Saúde.

Protesto aconteceu em frente à sede da Unicat, em Natal — Foto: Cedida

Os pacientes transplantados do Rio Grande do Norte têm sofrido com a falta de medicamentos nos últimos meses no estado. A reclamação deles é de que pelo menos desde novembro não há quantidade suficiente para atender a todos os que necessitam do remédio na rede pública.

Sem a normalização da situação, nesta sexta-feira (29), data em que estava prevista, mas foi adiada a chegada de um lote dos remédios, pacientes e familiares protestaram em frente à sede da Unidade Central de Agentes Terapêuticos (Unicat), em Natal.

O remédio em falta é o Tacrolimo, nas dosagens de 1mg e 5 mg, que é fundamental para o bom funcionamento do órgão transplantado nos pacientes. Caso ele não seja tomado, há a possibilidade de o corpo reagir negativamente, rejeitando o órgão, e serem necessárias sessões de hemodiálise.

“O medicamento é de suma importância para a gente não rejeitar o nosso rim, mas infelizmente nós temos a resposta da Unicat que só vai chegar daqui para próxima semana. Mas a gente não tem como esperar a próxima semana”, reclamou a aposentada Patrícia Grace, que faz uso da medicação.

“Muita gente não pegou desde o mês passado. Mais ou menos desde o final de novembro que vem faltando essa medicação. Então não temos como esperar porque nosso rim não espera. Ele pode chegar a rejeitar, por falta de medicação. E aí, vamos parar na máquina de hemodiálise novamente, por falta de medicação?”.

De acordo com a Unicat, a aquisição da medicamento é de responsabilidade do Ministério da Saúde. “No momento o órgão está com dificuldade na aquisição deste componente desde o ano passado não consegue atender as necessidades dos estados”, disse em nota.

A Unicat prevê o recebimento de um novo lote do Tacrolimo 1 mg do Ministério da Saúde no próximo dia 5 de fevereiro. O de 5 mg “está com previsão de envio para os estados para o final de fevereiro”, segundo a unidade. A quantidade não foi informada.

Atualmente, o Rio Grande do Norte tem 657 pacientes cadastrados para receber o Tacrolimo 1 mg e 40 para receber o Tacrolimo 5 mg. O lote recebido na última semana (de 4 mil comprimidos), segundo a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), foi suficiente para atender 100 pacientes.

Do G1 RN