Hospital Pediátrico Maria Alice realizou mais de 200 cirurgias eletivas em um mês

foto: Agora RN

“Sinto um verdadeiro alívio e uma felicidade em estar aqui, mudou nossa vida”. A fala é de Lília de Araújo, residente do município de Caicó ao ver a recuperação de sua filha de dois anos e quatro meses no Hospital Pediátrico Maria Alice Fernandes. Devido à pandemia, as cirurgias eletivas no Rio Grande do Norte foram suspensas por recomendação do Ministério Público para socorrer as pessoas acometidas em estado grave pelo Coronavírus.

Hoje, com a retomada no programa Mais Cirurgias, Mais Saúde, o Maria Alice já realizou desde outubro, mais de 200 cirurgias, sendo em média 60 por semana. Para Lília, a vida agora tem outro sentido. Sua filha sofria de uma hérnia e as crises eram constantes.  “Devido à pandemia ficamos de mãos atadas, mas a espera acabou e hoje vamos retornar para Caicó com novos horizontes”, ressalta.

De acordo com a diretora geral do Hospital Maria Alice, Suyame Ricarte, os procedimentos retomaram no dia 21 de outubro com cirurgias eletivas que já estavam agendados antes a pandemia. “Iniciamos pelos pequenos procedimentos e até dia 16 de novembro já atendemos 181 pacientes e foram realizados 199 procedimentos já que tem crianças que se submetem a dois procedimentos ou mais”, explica.

Um desses pacientes é o filho de Gessyara Kelly, residente em Mossoró, mãe de um menino de dois anos. O menino fez três cirurgias de uma só vez: Fimose e duas hérnias: uma umbilical e outra na virilha. “A pediatra descobriu durante os exames pré cirúrgicos que não existia somente o problema da hérnia que ele sofria de dor, mas também os outros dois procedimentos. Para mim está sendo uma grande alegria poder voltar para casa com meu filho curado, não tem nada mais valioso no mundo e só tenho a agradecer a toda a equipe do hospital pelo atendimento tão especial”, disse a mãe.

Os procedimentos mais realizados no hospital pediátrico são postectomias, frenotomias e herniorrafias. É importante ressaltar que todas as crianças que estão sendo operadas hoje, já haviam passado por consulta com os cirurgiões antes da pandemia. Já as crianças que ainda não passaram por avaliação do cirurgião estão em fase de encaminhamento via regulação municipal e estadual. Além disso, as crianças que precisam de internação são encaminhadas para os leitos de clínica cirúrgica e são acompanhadas pela equipe multiprofissional até sua alta.

“Ver o Hospital Maria Alice funcionando em sua plenitude é gratificante, tendo em vista que a missão da unidade é prestar assistência às crianças do Estado do Rio Grande do Norte de forma integral, universal, regionalizada e com resolutividade”, afirma a diretora geral Suyame Ricarte. E complementa que são muitos os agradecimentos dos familiares que chegam até a direção e principalmente aos profissionais que estão na assistência direta.

Mais Cirurgias, Mais Saúde

As cirurgias eletivas que estavam suspensas desde março acontecerão através do Programa Estadual intitulado “Mais Cirurgias, Mais Saúde”. A proposta do programa, além da retomada imediata, é a expansão dos procedimentos para regiões onde a oferta não existia, visando realizar pelo menos mil procedimentos por mês até o fim do ano. Para isso, a Sesap intensificou as ações nos serviços próprios, estruturando com insumos e equipes para utilizar os espaços que receberam equipamentos pelo Governo Cidadão e de emendas. A primeira etapa do programa está orçada em R$ 6,1 milhões.

Além do Hospital Pediátrico Maria Alice Fernandes, os procedimentos serão ampliados e inseridos no Hospital da Polícia Militar e nos hospitais regionais de Santo Antônio (1ª região de saúde), João Câmara (3ª região), Currais Novos (4ª região), São Paulo do Potengi (5ª região de saúde), Pau dos Ferros (6ª região de saúde), de Assú (na 8ª região), de Caraúbas e de Apodi (2ª região de saúde) e ainda no Hospital São Luís, em Mossoró.

Hospital Regional de Currais Novos, Hospital da Polícia e Hospital Cleodon  retomaram  as eletivas de rotina realizando mais de 350 procedimentos.

Qual sua opinião?