Governo discute parcerias em projetos sociais com representantes do MST

Centro Educacional e agricultura familiar estiveram na pauta da reunião

A governadora Fátima Bezerra discutiu, nesta segunda-feira, 1º de fevereiro, sobre parcerias em projetos sociais com representantes das diretorias nacional e estadual do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). A pauta incluiu a vinda do Armazém do Campo para o RN e a cessão do Centro Educacional Patativa do Assaré, no município de Ceará-Mirim, para o MST.

Sobre o Centro Educacional, a chefe do Executivo explicou às direções do MST que o pedido de cessão já foi protocolado, mas permanece travado por questões técnicas, e afirmou que a educação é uma das prioridades do Governo. ”É preciso dialogarmos com a prefeitura, falar sobre o investimento que o Governo fará para que o município entre na luta pela cessão”, disse. 

O investimento citado pela governadora diz respeito à aplicação de mais de R$ 250 milhões na educação potiguar, visando a ampliação da rede de ensino profissionalizante e o enfrentamento ao analfabetismo (passando pelo iniciativa do MST “Sim Eu Posso”).  Ainda dentro da proposta de investir na educação técnica qualificada, Fátima Bezerra propôs a transformação do Centro Educacional Patativa do Assaré em um Centro de Formação Profissional. 

Secretário estadual da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer (SEEC), Getúlio Marques lembrou que a busca da cessão do terreno, pertencente à União, do Patativa do Assaré não é uma pauta nova. “Já tivemos diversas reuniões sobre assunto. Estávamos com quase tudo certo, mas a mudança de gestão municipal trouxe empecilhos que impossibilitaram o avanço neste processo”, afirmou. 

“Vamos nos comprometer e nos empenhar em resolver essa questão. A escola produz conhecimento em benefício de todos. E esta é uma mais acertada do governo: abraçar e acolher”, acrescentou o vice-governador, Antenor Roberto. 

ARMAZÉM DO CAMPO

A rede Armazém do Campo é uma iniciativa que disponibiliza a venda de produtos da agricultura familiar. O dirigente estadual do MST, Hildebrando Andrade, afirmou que tem buscado implementar a iniciativa no Rio Grande do Norte. “Temos esse desejo de trazer esse modelo de venda. Será um desafio organizar um, diante das dificuldades, mas, vamos sair do papel”, disse. 

Também sobre a agricultura familiar, o secretário de Estado do Desenvolvimento Rural e da Agricultura Familiar (Sedraf), Alexandre Lima, disse que este ano o programa entra em uma nova fase. “Vamos experimentar a aquisição dos produtos da agricultura familiar para fornecimento ao Sistema Único de Saúde (SUS)”.