Ferramenta digital da UFRN para implantação de cidades inteligentes recebe registro intelectual

Uma plataforma digital com ferramentas de georreferenciamento para gerenciamento, visualização e integração de dados para o contexto de cidades inteligentes foi desenvolvida por cientistas da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). A SGeol (Smart Geo Layers) oferece uma interface web, bem como um conjunto de funcionalidades de alto nível, tais quais gerenciamento de informações heterogêneas provenientes de sistemas de gestão, consultas semânticas, gerenciamento de dados temporais, processamento de eventos complexos, serviços de integração de dados e visualização.

Com diversos componentes funcionais genéricos que facilitam a sua customização, o programa de computador possibilita a unificação de dados de várias fontes no ambiente da cidade inteligente e humana em municípios do porte de Natal, Mossoró e Parnamirim. Um exemplo é a perspectiva de aplicação no âmbito da educação pública, nos níveis infantil ao médio.

Isso porque nele é possível georeferenciar fatores geográficos, demográficos, escolares e e cognitivos, sociais, culturais e familiares, entre outros. Estes aspectos possuem elevada influência nos comportamentos espaciais e multifatoriais de vulnerabilidades que incidem no desempenho – as vezes, insucesso – do alunado, até mesmo antevendo casos de evasão escolar. A partir daí, pode-se desenvolver e apresentar sugestões inteligentes e sustentáveis para qualificar a gestão e governança da educação com outras políticas públicas. Um outro exemplo é o prognóstico de locais para instalação de novas unidades de saúde a partir de informações iniciais de bairros, outras unidades de saúde e de dados demográficos.

O mesmo raciocínio pode ser alargado para situações como mobilidade urbana e segurança pública dentro do contexto das cidades inteligentes e humanas. Já em 2017, a Secretaria de Planejamento de Natal já apontava a SGeol como um dos  principais projetos do programa “Natal, cidade inteligente e humana”.