Educação: Associação de pais declara apoio à gestão do reitor interino do IFRN

Professor Josué Moreira, reitor interino do IFRN – Foto: Reprodução

À frente da instituição desde o fim de abril, quando foi nomeado para o cargo pelo Ministério da Educação, o reitor interino do IFRN, professor Josué Moreira, recebeu nesta quinta-feira 3 o apoio da Associação de Pais e Alunos de Escolas Públicas e Privadas do Rio Grande do Norte (Aspa).

Em carta aberta, à qual o Agora RN teve acesso, a associação parabeniza o reitor pelas ações implementadas nos últimos meses no IFRN e defende a retomada das aulas na instituição ainda no mês de setembro, mesmo que de forma não presencial (ou seja, com ensino remoto). O reitor interino também defende a retomada. No texto, a associação também agradece pelo espaço oferecido para que os pais possam opinar sobre o futuro da instituição.

Essa manifestação da Aspa foi uma das raras declarações de apoio feitas até agora ao reitor interino, que vem enfrentando desde que assumiu o cargo forte rejeição de professores, estudantes e servidores – que consideram a atual gestão ilegítima e chamam Josué Moreira de “interventor”.

Na carta, a associação de pais ressalta que o reitor Josué Moreira tem implantado diversas medidas que visam à retomada das aulas no IFRN, como a edição de portarias que autorizam o ensino remoto e que reorganizam o calendário acadêmico de 2020, adaptando à nova realidade imposta pela pandemia do novo coronavírus.

O documento destaca, ainda, que a gestão do reitor interino tem feito um remanejamento orçamentário que permitirá a criação de um auxílio financeiro para que os estudantes que ainda não conseguem ter acesso à internet possam assistir às aulas remotas. O dinheiro servirá, por exemplo, para a compra de equipamentos e para proporcionar o acesso à internet nos ambientes em que os estudantes moram, já que a escola permanece fechada.

“A gestão do reitor ‘pro tempore’ está em consonância com o interesse público e o respeito à educação como direito social do aluno. Enquanto assim permanecer, terá todo nosso apoio. O reconhecemos por chancelar a legitimidade e legalidade dos pais como agentes de direito em propor, sugerir, solicitar, fiscalizar e acompanhar as deliberações da instituição”, afirma o documento.

Agora RN