São Gonçalo monta polo empresarial para aproveitar potencial do aeroporto

Especialmente em meio à crise econômica, como a vivida pelo Rio Grande do Norte desde 2015 e coroada no ano passado com uma crise sanitária de proporções épicas, nomes experientes fazem toda a diferença. É o caso de Vagner Araújo, que assumiu a Secretaria de Desenvolvimento Econômico de São Gonçalo do Amarante em março de 2019, quando o que já parecia desafiador piorou consideravelmente como o novo coronavírus que assolou o planeta em 2020.

Ex-coordenador do plano de investimentos do Banco Mundial no Estado, Vagner, o nome escolhido pelo prefeito de São Gonçalo do Amarante, Paulo Emídio, o Paulinho, caiu feito uma luva para substituir Fernando Fernandes, convidado na ocasião para compor a gestão de Álvaro Dias em Natal.

Credenciais sobram a Vagner. Secretário de Estado pela primeira vez aos 25 anos, em 1994, na Secretaria Estadual de Trabalho, Habitação e Assistência Social (Sethas), do governo Vivaldo Costa, e secretário de Planejamento e Chefe da Casa Civil do governo Wilma de Faria (2003-2010), passou também pela gestão Robinson Faria colecionando elogios.

Junte-se a isso uma chefia no Ministério de Minas e Energias no Rio Grande do Norte e o cargo de prefeito eleito de Lucrécia por dois mandatos, Vagner encara agora, junto com o prefeito Paulinho, o novo desafio de preparar São Gonçalo do Amarante para a pós-pandemia, tendo desde sempre como trunfo valioso o aeroporto internacional dos mais bem avaliados do país.

Agora RN