Novo presidente deve antecipar fim do home-office na Petrobras

Nas reuniões prévias que tem feito com diretores e gestores da Petrobras, o general Silva e Luna, que será escolhido oficialmente nesta segunda-feira (12) para o comando da estatal, tem indicado que fará em breve uma alteração de caráter administrativo-sanitário: vai antecipar a volta ao trabalho presencial.

Segundo a coluna de Lauro Jardim, da revista Época, o home-office na Petrobras vale até junho, mas já era consenso na atual diretoria que seria estendido até dezembro.

No fim de fevereiro, logo depois de indicar Silva e Luna para a Petrobras, Bolsonaro criticou abertamente o home-office na Petrobras: “O atual presidente da Petrobrás está há 11 meses de casa, sem trabalhar. Trabalha de forma remota. O chefe tem que estar na frente, bem como seus diretores. Isso para mim é inadmissível. Descobri isso faz poucas semanas”.