Investidores do RN são habilitados para disputar Leilões de Energias

Foto_Daniel Herrera

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte (Idema) realizou uma força-tarefa, no período de janeiro a abril, para analisar processos referentes às atividades de energias renováveis. Resultante do trabalho, o órgão ambiental emitiu 52 Licenças para Setores de Energias Eólica e Solar no RN, com isso habilitou diversas empresas para participarem dos Leilões de Compra de Energia Elétrica Proveniente de Novos Empreendimentos de Geração, denominados Leilões de Energia Nova “A-3” e “A-4” de 2021, que será realizado pelo Ministério de Minas e Energia, por meio da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL).

Dos documentos emitidos pelo órgão ambiental, 50 são Licenças Prévias e duas são Licenças de Instalação. Para o supervisor do Núcleo de Energias e Telecomunicação do Idema, Felipe Fernandes, “essas licenças garantem que as empresas possam concorrer nos próximos leilões, sinalizando a continuidade da expansão da atividade de energias renováveis no Estado, com a chegada de novos projetos em diversos municípios. O mutirão contou com o esforço da equipe do Núcleo de Energia com o auxílio fundamental do setor de Geoprocessamento, da Assessoria Jurídica para tratar casos específicos, da equipe da Coordenação e do Meio Ambiente (CMA) e da Diretoria para revisão dos pareceres e assinatura das licenças”, esclareceu o supervisor.

De acordo com o diretor-geral do Idema, Leon Aguiar, “sabemos da importância desses Leilões para o país e para o nosso estado. Mesmo em meio a uma pandemia, estamos trabalhando para garantir que os empreendimentos possam participar dos certames. O empenho de todos fez a diferença e podemos hoje apresentar um ótimo resultado, com o maior número de processos que o Idema já emitiu. E a partir de maio, iniciaremos outra força-tarefa para o leilão de setembro. O Estado tem um potencial extraordinário para a produção dessas atividades, além de fontes de energia renováveis e limpas, fazendo com que o Rio Grande do Norte se fortaleça, cada vez mais, de forma sustentável e econômica, com segurança jurídica”, informou o diretor.

O Rio Grande Norte possui 72% da sua matriz elétrica de eólica e 20% solar. Atualmente, 397 empreendimentos, sendo a capacidade geradora de 12.785 MW (megawatt) de potência, (operação + construção + contratada), entre as fontes de energias, fóssil, biomassa, solar, hídrica e eólica.