Governo se reúne para discutir a liberação das infraestruturas de Gás Natural no RN

O Governo do Rio Grande do Norte, por meio da Companhia Potiguar de Gás (Potigás) e Secretaria de Estado do Planejamento e das Finanças (Seplan), realizou nesta sexta-feira (02) uma reunião virtual para discutir a necessidade de acesso à UPGN – Unidade de Processamento de Gás Natural – de Guamaré, previsto no acordo firmado entre Petrobras e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) para abertura do mercado de gás.

Os campos maduros adquiridos por novos produtores no Rio Grande do Norte estão integrados à malha existente da Petrobras, e a falta do acesso à infraestrutura impede a negociação do gás natural diretamente com a Potigás.

Na ocasião, a governadora falou da satisfação de ver estado e iniciativa privada reunidos para discutir ações que ampliam o desenvolvimento econômico e destacou a transparência nas ações e eficiência no licenciamento ambiental para as produtoras de gás.

“Nós valorizamos a chegada da iniciativa privada e não medimos esforços para conceder celeridade e eficiência no licenciamento ambiental que permitiu, por exemplo, que a Potiguar E&P se instalasse. Minha gratidão por estarem reunidos para a discussão de um assunto tão importante para o Rio Grande do Norte. De nossa parte, garantimos naquilo que compete ao Estado, segurança jurídica e cumprimento dos contratos e de nossa palavra”, destacou.

O Secretário de Estado do Planejamento e das Finanças (Seplan) Aldemir Freire, que coordena o Grupo de Trabalho que trata da transição da Petrobras no Rio Grande do Norte, falou da importância da união nesse momento fundamental para a economia do estado. “O Governo quer se solidarizar com a questão da UPGN, construir uma economia do gás para beneficiar o mercado em geral”, ressaltou Aldemir.

O Superintendente do Sistema FIERN, Amaro Sales, destacou a importância da reunião, falou em união entre empresários e governo e se colocou à disposição para contribuir para o aumento da produção de gás no RN. “Essa foi uma reunião muito proveitosa, com todos os atores participando, os empresários, as instituições de governo, acredito que vamos colher bons frutos. Vamos trazer essa mudança para o nosso estado, junto a essas empresas que fazem um novo momento de petróleo e gás no RN. Tenho certeza que o sistema indústria pode contribuir. A gente precisa do gás com preço competitivo. A FIERN tem trabalhado fortemente nisso para termos um gás mais barato e a chegada de novas indústrias”, disse.