Covid-19: Taxa de ocupação de leitos fica abaixo de 90% pela primeira vez em 50 dias no RN

A taxa de ocupação de leitos para Covid-19 no Rio Grande do Norte ficou abaixo de 90% na manhã desta quarta-feira (21), pela primeira vez após 50 dias. Entre 1º de março nessa terça-feira (20), a ocupação de leitos em todo o estado ficou sempre acima desse patamar, de acordo com dados do sistema Regula RN – usado na administração dos leitos da rede pública.

Ainda assim, o sistema Regula RN registrava 32 pessoas em fila de espera por leito crítico para Covid-19 – 14 delas em Mossoró, onde a taxa de ocupação segue mais alta, e 18 na região metropolitana de Natal.

Por volta das 14h, o estado como um todo registrava ocupação de 90,5% dos leitos e a região metropolitana da capital tinha 90,3% de ocupação. A região com menor ocupação era o Seridó, onde a taxa ficava pouco acima de 72%. No Oeste, a taxa ainda era de 97,2%.

Uma das explicações para a redução da ocupação é a abertura de mais leitos pela rede pública. De acordo com o Regula RN, o estado chegou a 408 leitos críticos para Covid na manhã desta quarta – do total, 24 estavam bloqueados. Na terça-feira (20), o estado registrava 378 leitos críticos operacionais (funcionando ou disponíveis para uso) no estado – o maior número desde o início da pandemia.

Nesta quarta-feira (21), a Secretaria Estadual de Saúde divulgou a abertura de mais 10 leitos de UTI no Hospital João Machado, na capital potiguar. A unidade chegou a 55 leitos críticos e 15 leitos clínicos e passou a ser o hospital com maior número de leitos críticos para Covid-19 na rede pública no Rio Grande do Norte. Até então, a maior unidade era o Hospital São Luiz, em Mossoró.

“Nos próximos dias, o hospital ganhará mais 20 leitos de UTI, os quais serão abertos a depender da disponibilidade de RH (recursos humanos) e sedativos, totalizando 75 leitos de UTI e 15 leitos clínicos”, informou a pasta.

Com informações do  G1RN