Com pandemia, RN perde 49% dos passageiros aéreos em 2020

A pandemia do novo coronavírus fez despencar o número de passageiros no Aeroporto Internacional Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal. O terminal recebeu 1.185.208 de passageiros em 2020, representando uma movimentação de 49% menor que em 2019, quando foram contabilizados 2.330.725 usuários. A queda acentuada soma-se à demanda por transporte aéreo de carga, que no ano passado foi a pior desde o início da série.

O movimento em 2020 no terminal aéreo potiguar foi pior que em 2014, quando foi inaugurado, e recebeu 1.495.724 passageiros. A partir da abertura, o número de passageiros oscilou entre 2,3 milhões e 2,4 milhões, com pico de 2.584.355 em 2015, segundo dados divulgados pela Inframérica, concessionária que administra o aeroporto.

As medidas de isolamento social e o fechamento de fronteiras, provocadas pela pandemia da covid-19 resultou na paralisação da aviação em todo o mundo, sendo um dos setores mais atingidos e prejudicados. Foram pouco mais de 10 mil pousos e decolagens contra 18 mil em 2019.

Para Roberto Luíz, head de Negócios Aéreos da Inframerica com mais de 40 anos de experiência no setor aéreo, este foi o pior ano na história da aviação. “Esta foi a pior crise para o setor. Guerra do Golfo, 11 de setembro, crise de 2008, nenhuma teve um impacto tão devastador na indústria. O impacto foi sentido em todos os aeroportos, companhias aéreas e no setor de turismo de todo o mundo. Sentimos o impacto antes de vários setores e a recuperação deve ser mais lenta também”, disse.

O Rio Grande do Norte não é um caso isolado. O número de passageiros aéreos caiu 66% em 2020 no mundo, em relação a 2019, um retrocesso recorde devido às restrições impostas pela pandemia de coronavírus, segundo a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA), que reúne 190 companhias aéreas do mundo. A entidade alertou que as perspectivas de recuperação em 2021 são “sombrias” devido à aparição de novas variantes da covid-19, embora não tenha revisado formalmente para baixo suas previsões para o ano.

Já no aeroporto do Rio Grande do Norte, a expectativa é de que a recuperação aconteça de forma gradual. Em dezembro, por exemplo, o terminal registrou a 7º alta consecutiva de voos e passageiros e chegou a atingir 155 mil usuários e 1.340 mil voos, por isso, o head de negócios da Inframérica se disse otimista quanto à retomada em 2021. Em novembro, o registro tinha sido de 921 voos e 126 mil passageiros. Ele destacou que esta recuperação estará ligada diretamente à vacinação da população. “Nosso papel é deixar tranquila a passagem pelo nosso aeroporto daquele passageiro que precisa viajar. Estamos investindo em tecnologia para melhorar a experiência do nosso usuário”, comentou o executivo.

Tribuna do Norte