Provas do concurso da Polícia Federal com 1,5 mil vagas serão aplicadas dois meses após edital

Ministério da Economia aceitou o pedido feito pela Polícia Federal e diminuiu para dois meses o prazo entre o edital e a prova do concurso da corporação. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (6/1).

A informação sobre a aceitação da solicitação já havia sido antecipada pelo Metrópoles. O edital para o segundo maior concurso já realizado pela PF deve sair este mês, com provas previstas para março.

São 1.500 vagas, distribuídas da seguinte forma: delegado (123), escrivão (400), papiloscopista (84) e agente (893). Além disso, a corporação ainda pretende convocar outros 500 novos policiais. Ao final do processo, a PF contará com o maior efetivo de sua história, podendo ultrapassar a marca de 12 mil policiais.

A PF quer celeridade no processo para que, em agosto, os aprovados já ingressem na academia e o provimento de cargos ocorra até 31 de dezembro de 2021.

A autorização para a realização do certame foi concedida para provimento dos cargos até o final de dezembro. A PF, então, passou a fazer o planejamento com base neste prazo. Além da prova objetiva e discursiva, o concurso ainda conta com teste de aptidão física, psicológica, exames médicos, prova oral e títulos para delegado, e prova de digitação para escrivão. Os salários para os cargos que serão ofertados variam de R$ 12 mil a R$ 23 mil.