Sismógrafo perdido há 8 meses é recuperado por surfista em praia: ‘Grande serviço para ciência’, diz pesquisador

Um sismógrafo perdido há oito meses foi recuperado em uma praia de Jaguaruna, em Santa Catarina. O equipamento havia sido lançado em alto mar no Rio de Janeiro em 2019 e desde de julho do ano passado não era mais localizado.

Na última terça-feira (06), os responsáveis pelo aparelho que detecta os movimentos do solo foram até Laguna, local onde reside o surfista João Alberto Schmitz Filho, responsável por encontrar o objeto, e buscaram o sismógrafo.

“A equipe já tinha dado ele como perdido ou seria feito um grande investimento para resgatar o objeto com submarino. Mas, felizmente, o João prestou esse grande serviço para ciência brasileira”, afirmou o oceanógrafo, Ricardo Franco, integrante da equipe que buscou o aparelho.

João Alberto disse ao G1 que encontrou o sismógrafo no mar no dia 02 de abril. “De longe eu avistei uma peça brilhando à beira-mar. Achei que pudesse ser uma caixa preta de avião, por ser laranja. Se tratava de uma peça que era desconhecida até o momento”, contou.

Sem entender o que era o objeto, o surfista gravou um vídeo e publicou nas redes sociais. A publicação teve muitos comentários e compartilhamentos e acabou chegando até a equipe responsável.

“Eu trouxe para casa e fiz uma limpeza completa no objeto, quando eles [os responsáveis] viram o vídeo, ficaram até emocionados como tudo isso foi acontecer. Fiquei muito contente poder fazer parte de algo tão importante para a ciência. No fim, foi um final feliz. É mais uma história que fica, mais uma aventura boa”, concluiu João.

O sismógrafo foi encontrado a cerca de 1.145 quilômetros em linha reta de onde foi deixado. Segundo o G1, a suspeita é que condições extremas no mar, como a formação de um ciclone no oceano que causou agitação na água, possam ter deslocado o objeto entre a orla dos dois estados.

msn notícias