Vacinas da gripe e da Covid-19 serão tomadas com intervalo de 14 dias

O Ministério da Saúde determinou que a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza, de 2021, será realizada em abril. Foram adquiridas 80 milhões de doses para a imunização dos grupos prioritários.

Contudo, devido à pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, a campanha deste ano terá alterações. A principal é a recomendação para que a vacinação contra as duas enfermidades não seja simultânea.

A área técnica do Ministério da Saúde recomenda que haja intervalo de 14 dias na aplicação das vacinas. Ou seja, caso um idoso seja imunizado contra a Covid-19, ele terá de esperar duas semanas para receber a proteção contra a gripe.

“Ao se considerar a ausência de estudos de coadministração das vacinas Influenza e Covid-19, neste momento não será recomendada a administração simultânea das vacinas contra Covid-19 com as de outras doenças”, explica a pasta, em nota.

O secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Correia de Medeiros, enviou aos estados e aos conselhos Nacional de Secretários de Saúde (Conass), de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) e de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) um ofício orientando como será a campanha.

No documento, Medeiros ressalta: “Nunca houve uma campanha de vacinação dessa magnitude, iniciada em tão pouco tempo. E, ao considerar também a grande abrangência da campanha de influenza, assim como a sobreposição da população-alvo, faz-se necessária uma organização e programação orquestrada e bem articulada para operacionalização de ambas as campanhas”.

Metrópoles