Quatro meses após flexibilização, Amazonas volta a adotar restrições contra Covid-19

Amazonas (Manaus) – Banhistas se aglomeram e lotam a praia da Ponta Negra, na tarde deste domingo (6), em Manaus (AM) — Foto: Edmar Barros/Futura Press/Estadão Conteúdo

Quatro meses após flexibilizar a quarentena, o Governo do Amazonas voltou a adotar medidas de restrição para impedir a circulação da Covid-19. Dentre as mudanças, decretadas nesta quinta-feira (24), bares e balneários no estado voltaram a ser proibidos de atender ao público.

O governo apontou que foi registrado aumento de casos e internações por Covid-19 em Manaus, mas descartou a ocorrência de uma segunda onda da doença. O crescimento mais significativo de internações acontece na rede privada, segundo o governo.

Até quarta (23), a taxa de ocupação na rede privada é de 65,17% em leitos de UTI e 64,74% em leitos clínicos. Já na rede pública, a ocupação de leitos UTI chega 72 % e 40,36% em leitos clínicos. Até esta quinta (24), o total de casos passa de 134 mil.

G1 AM