Prefeitos cearenses doam salários para compra de cestas básicas em meio à pandemia

Em Icapuí e Lavras da Mangabeira, prefeitos anunciaram compra de cestas básicas com seus salários Foto: Agência Brasil

Mais dois prefeitos cearenses resolveram aderir à iniciativa de doar o salário, integralmente ou em parte, para que os recursos sejam revertidos em assistência social e aquisição de cestas básicas para a população em meio à segunda onda da pandemia de Covid-19.

Ronaldo Pedrosa (PSD), de Lavras da Mangabeira, e Lacerda Filho (PSD), de Icapuí, anunciaram que vão abrir mão de rendimentos para tentar aliviar os efeitos da crise sanitária sobre a economia, gesto que já havia sido feito por pelo menos outros três prefeitos do Ceará, entre outros políticos. 

Em Lavras da Mangabeira, na região do Cariri, Ronaldo Pedrosa decidiu doar todo o salário do mês de março para a aquisição de cestas básicas. O prefeito afirmou ter realizado reunião com entidades de classe, igrejas, pastorais e ONGs, que ficarão a cargo da distribuição dos donativos durante a semana.

Em Icapuí, no Litoral Leste, a decisão do prefeito não se refere ao salário integral, mas já foi acompanhada pelo vice e representantes do primeiro escalão da administração.

Na semana passada, Ronilson Oliveira (MDB) prefeito de Croatá, na região da Ibiapaba, anunciou a doação de 100% do salário, também para a aquisição de cestas básicas, destinadas a famílias vulneráveis. Segundo ele, é uma maneira de reduzir os impactos das medidas de isolamento social e fechamento do comércio. “Não irei permitir que ninguém aqui em Croatá passe fome”, justificou. 

Outro prefeito que doará integralmente o salário de março para a aquisição de cestas básicas é Davi Benevides (PDT), de Redenção, no Maciço de Baturité. Em janeiro, o gestor já havia doado todo o rendimento líquido (R$ 10.200) para a aquisição de cinco capacetes Elmo, equipamento de respiração assistida utilizado na recuperação de pacientes com complicações decorrentes da Covid-19.

Diário do Nordeste