Número de crianças de 0 a 4 anos com Covid em Fortaleza cresceu 78% entre a 1º e a segunda onda

Aumento de casos de Covid-19 em crianças preocupa especialistas
Foto: Natinho Rodrigues

O número de crianças entre zero a 4 anos de idade infectadas pelo novo coronavírus nesta segunda onda da pandemia, em Fortaleza, já supera em 77,8% o total de casos registrados entre o início de março e fim de setembro (período que marca a primeira onda).

Naquele intervalo, a Secretaria da Saúde (Sesa) do Ceará registrou 821 infecções em crianças dessa faixa etária na Capital. Do início de outubro até ontem (9), já eram 1.459.

O médico infectologista e professor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC), Ivo Castelo Branco, explica que esse aumento nos casos dessa faixa etária deve-se à nova variante do vírus. Confome o especialista, a cepa que já circula no Ceará é mais letal e a “transmissão não difere idade”.”É avassaladora a rapidez com que essa nova variante infecta as pessoas, sem distinguir nenhuma idade. Além de infectar crianças, ela também é mais grave. O perfil dos doentes mudou, eles chegam muito mais grave às unidades de saúde”, detalhou.

A gravidade na qual o infectologista se refere pode ser contextualizada em números. Janeiro de 2021 foi o segundo mês com mais mortes de crianças com Covid-19 no Ceará. No total, nove crianças de até 4 anos perderam a vida por decorrência do novo coronavírus. Na Capital cearense foram cinco óbitos (41,6%).

Diário do Nordeste