Juiz cassa diploma de prefeito e vice de Juazeiro do Norte (CE)

O juiz eleitoral da 28ª Zona Eleitoral do Ceará (CE), Giacumuzaccara Leite Campos, decidiu nesta sexta-feira, 30, pela cassação dos diplomas do prefeito de Juazeiro do Norte (CE), Glêdson Bezerra (Podemos), e de seu vice, Giovanni Sampaio (PSD), por abuso de poder econômico na eleição de 2020. Com isso, os gestores podem perder o mandato.

Na decisão, o juiz afirma que, apesar de ter trazido aos candidatos “grande benefício, a ponto de tornar injusta e desproporcional a propaganda eleitoral”, o uso do helicóptero não aparece na declaração de despesas de campanha de Glêdson e Giovanni. Neste sentido, ele destaca o alto custo com combustível para manter um sobrevoo longo do tipo.

“Não há como extrair outra conclusão senão o fato de que os impugnados, em especial o candidato Glêdson Bezerra, eram concordantes com a prática laborada por seu principal apoiador e financiador de campanha, Gilmar Luiz Bender, quanto a utilização do helicóptero, em benefício de sua ‘mega carreata’”, destaca o juiz.

“Até porque em nenhum momento se mostrou surpreso ou contrário ou mesmo tratou de tornar público que tal conduta não teve sua anuência, ao contrário, fez foi ostentar grau de orgulho pelas proporções que o evento atingiu”, continua. Na denúncia que motivou a ação, movida por integrantes da chapa do adversário de Glêdson na eleição, Arnon Bezerra (PTB), gastos poderiam chegar a R$ 70 mil.

Empresário que há vários anos tentava se viabilizar para a disputa pela Prefeitura de Juazeiro, Gilmar Bender chegou a se lançar pré-candidato ao cargo pelo PDT, no ano passado. Na época, no entanto, a indicação sofreu resistência de grupo do PDT e da base do governo Camilo Santana (PT), que pregava apoio à reeleição de Arnon Bezerra. “Escanteado” na disputa, Gilmar virou um dos principais apoiadores da candidatura de Glêdson Bezerra, realizando doações em R$ 255 mil para os candidatos.

A cassação é novo episódio em meio ao início de ano turbulento da gestão Glêdson Bezerra em Juazeiro do Norte (CE). Em apenas quatro meses de governo, o prefeito já responde a três Comissões Parlamentares de Inquérito (CPI) e um processo de cassação instalados pelo Legislativo do município. Ações envolvem acusações diversas, desde nepotismo, contratações irregulares a até “fura-filas” na vacinação contra Covid-19.