Há 31 dias com média de mortes acima de mil, país repete pior fase de 2020

Com uma média de 1.051 mortes confirmadas em decorrência da covid-19 nos últimos sete dias, o Brasil completa hoje 31 dias consecutivos em que o índice tem se mantido acima de mil. Assim, a série se iguala ao período mais longo em que isso ocorreu na pandemia: foram 31 dias seguidos, entre 3 de julho e 2 de agosto, durante o auge da primeira onda da pandemia.

Em 2021, contudo, foi registrada a maior média de óbitos de toda a pandemia. No domingo (14), o Brasil apresentou a pior média diária de mortes em toda a pandemia: 1.105. Antes, a maior marca havia sido verificada em 25 de julho (1.097).

O levantamento é do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, baseado nos dados fornecidos pelas secretarias estaduais de saúde. Os números não indicam quando as mortes de fato ocorreram, mas, sim, quando passaram a contar dos balanços oficiais.

As estatísticas das secretarias estaduais de saúde totalizam 246.006 mortos pela covid-19 desde a chegada do novo coronavírus ao país. Foram 56.572 novos casos registrados em um dia, alcançando a marca de 10.138.265 contaminados pelo novo coronavírus.

Já de acordo com o governo federal, o Brasil contabilizou 1.212 novos óbitos nas últimas 24 horas, totalizando 245.977 mortes. Conforme a pasta, foram confirmados 57.472 casos no período, com o país chegando a 10.139.148 infectados desde o começo da pandemia, em março do ano passado. Desses, 9.067.939 pessoas se recuperaram da doença, com outras 825.232 em acompanhamento.

Fonte; UoL