Governo quer senador do “dinheiro da cueca” fora da vice-liderança

Chico Rodrigues é vice-líder do governo no Senado
Jane de Araújo/Agência Senado 

Após a PF (Polícia Federal) flagrar o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) com R$ 30 mil escondidos na cueca, numa operação para apurar supostos desvios de recursos para combater a pandemia, o presidente Jair Bolsonaro decidiu que o parlamentar deve deixar a vice-liderança do governo no Senado.  

R7 Planalto apurou que a avaliação da situação do senador invadiu a madrugada. A ordem é para que o parlamentar deixe por conta própria o posto. Se ele não sair voluntariamente, será retirado por uma determinação expressa do Planalto. O resto da investigação fica com a PF e a Justiça, assegura o governo.

Interlocutores e pessoas ligadas a Chico Rodrigues ainda não sabem o que ele irá fazer depois da sinalização do Planalto pela saída.

Em nota, Rodrigues disse que tem “um passado limpo e uma vida decente” e afirmou nunca ter se envolvido em escândalos. “Acredito na justiça dos homens e na justiça divina. Por este motivo estou tranquilo com o fato ocorrido hoje em minha residência”, afirmou.

Ontem, Bolsonaro reafirmou a apoiadores no Palácio do Alvorada que não existe corrupção no governo. “Se acontecer alguma coisa a gente bota para correr, dá uma voadora no pescoço deles. Mas não acredito que haja no meu governo”, afirmou na ocasião.

Na semana passada, durante cerimônia de lançamento do programa Voo Direto, o presidente disse que “acabou com a Lava Jato porque não tem mais corrupção no governo”. Em seguida, emendou: “Isso não é virtude, é uma obrigação”.

Portal R7