Fórum debate ações de fomento ao turismo religioso na Região Nordeste

As ações de fomento à interiorização e promoção do turismo religioso no Rio Grande do Norte, realizadas pela Secretaria de Turismo (Setur) e Empresa Potiguar de Promoção Turística (Emprotur), foram apresentadas na tarde desta quinta-feira (17), durante a primeira edição do Fórum Regional Nordeste de Turismo Religioso.

O evento é uma realização da MS Consultoria e Eventos com apoio e chancela da Associação Brasileira dos Turismólogos e Profissionais do Turismo (ABBTUR) e busca o fortalecimento do segmento por meio de parcerias publicas e privadas regionais.
 
A subsecretária de Políticas e Gestão Turística, Solange Portela, representou a secretaria de Turismo, na mesa de debate com os representantes dos estados do Ceará, Paraíba e Pernambuco. Ela apresentou os principais destinos do segmento religioso no RN e destacou as ações da Setur e Emprotur na promoção e divulgação voltadas para a temática.

“O turismo religioso vai além da religiosidade, pois desperta a curiosidade pela história e arquitetura. O santuário de Santa Rita de Cássia, por exemplo, é o nosso produto estrela, isto é, a principal localidade turística do segmento religioso. Onde está localizada a maior estátua católica do mundo com 56 metros de altura, muitos visitantes chegam à Santa Cruz, para conhecer o complexo sem serem devotos”, explicou. 
 
A Setur e a Emprotur desenvolvem uma séria ações com foco na interiorização do turismo, com divulgação dos diversos segmentos existentes no estado e investem em suas campanhas o turismo religioso, principalmente no âmbito regional, uma vez que a religiosidade é uma forte característica do povo nordestino.
 
No Rio Grande do Norte, além do Complexo Religioso de Santa Rita de Cássia, na cidade de Santa Cruz, há outros santuários como o Monte do Galo, em Carnaúba dos Dantas e nas cidades de São Gonçalo do Amarante e Canguaretama, a cultura religiosa está fortemente ligada à figura dos Mártires de Cunhaú e Uruaçu, católicos martirizados nos dois municípios em 1645 em decorrência das invasões holandesas no Brasil. Mais de 80 fiéis da Igreja Católica foram mortos, sendo 30 deles beatificados, em solenidade de canonização ocorrida no Vaticano, em 15 de outubro de 2017 pelo Papa Francisco.