Fardados e exibindo escopetas, militares do Exército dançam funk em palácio

soldadosUm grupo de militares do Exército Brasileiro decidiu dançar funk, em uma das residências oficiais da Presidência da República, com fardas e armas pesadas em punho. Eles estavam em horário de expediente. O vídeo, gravado na área externa, em um gramado em meio à vegetação do cerrado, é compartilhado na internet e tem causado constrangimento à corporação.

A letra da música em questão tem conteúdo pornográfico e violento, exaltando o uso de drogas ilícitas, os bandidos que controlam as favelas cariocas e até a prática do estupro.

Os cinco militares nas imagens pertencem ao 1º Regimento de Cavalaria de Guarda. Eles fazem parte da segurança presidencial e são mais conhecidos como Dragões da Independência. Ao ritmo de um funk intitulado Muito louco de balinha, com letra maliciosa, os militares colocam as armas em punho e as engatilham várias vezes.

Na sequência, diversos projéteis caem ao chão, como se estivessem fazendo disparos. A “balinha” que dá nome à música e é repetida exaustivamente no refrão em uma referência a algumas drogas sintéticas, conhecidas como “bala”.

O vídeo foi gravado em 2014 e os soldados expulsos do Exército. De acordo com a corporação, “um procedimento administrativo foi aberto para apurar os fatos”. Em nota, o serviço de comunicação da força armada informou ter concedido o direito de ampla defesa e contraditório aos envolvidos. “Eles foram excluídos das fileiras do Exército, a bem da disciplina, devido a gravidade de seus atos, de acordo com a legislação vigente”, esclarece um dos trechos do documento.
Correio Braziliense