Desembargador aceita pedido de habeas corpus e cantor Belo deve ser solto

O cantor Belo deve deixar a cadeia de Benfica, no bairro de mesmo nome na Zona Norte do Rio de Janeiro, nesta quinta-feira, 18. Por volta da 1h20min da madrugada, o desembargador Milton Fernandes de Souza aceitou o pedido de habeas corpus feito pela defesa do cantor. O pagodeiro foi preso nesta quarta-feira, 17, após realizar um show sem autorização e desrespeitando o decreto municipal.

A prisão foi efetuada pela Delegacia de Combate às Drogas (Dcod) da Polícia Civil do Rio de Janeiro. Contra ele, há a acusação de violar decreto municipal que proibia aglomerações no Carnaval ao realizar um show no Parque União, no Complexo da Maré, também na Zona Norte. As informações são do G1 e do O Globo

No mesmo caso, outras três pessoas são investigadas pela realização do show, no sábado,  13 de fevereiro. São eles: Célio Caetano, sócio da produtora Série Gold, responsável pelo show; Henriques Marques, também sócio da produtora; e Jorge Luiz Moura Barbosa, o Alvarenga, chefe do tráfico no Parque União.

O show foi realizado numa escola estadual e não tinha autorização da pasta da educação, que não chegou a receber um pedido para a utilização do espaço ou liberou qualquer evento durante a pandemia nas unidades. Por isso, a polícia apura também a invasão ao prédio público.

Pelas imagens publicadas em redes sociais, as salas, segundo os agentes, foram usadas como camarotes. Segundo a polícia, Belo e os demais investigados vão responder por quatro crimes: infração de medida sanitária, crime de epidemia, invasão de prédio público e associação criminosa.

Com o inquérito aberto para apurar as circunstâncias do show, a DCOD cumpriu na quarta quatro mandados de prisão preventiva e cinco de busca e apreensão. Um deles foi na sede da produtora Série Gold,  onde foram apreendidos equipamentos, a aparelhagem de som, documentos e veículos. Houve um mandado para a casa de Belo, no local foram apreendidos dinheiro e duas pistolas, com a posse legal.

O Povo