Com toque de recolher integral, RN tem maior taxa de isolamento social do país

Com índice de isolamento de 55,40%, o estado potiguar ocupou o topo da lista de estados brasileiros. Em seguida veio o Ceará, com 54,75% e Roraima, com 53,73%. Nos últimos lugares do ranking ficaram Mato Grosso do Sul (42,63%), Paraíba (45,09%) e Maranhão (45,22%).

O decreto estadual com medidas mais restritivas foi publicado na noite de sexta-feira (5). De acordo com o documento, ficou determinado o toque de recolher das 20h às 6h de segunda-feira e sábado, e o dia inteiro aos domingos. Apesar do decreto da Prefeitura de Natal descartar essa medida, a capital potiguar e a maioria dos estados potiguares registraram ruas vazias ao longo do fim de semana. 

Especialmente no domingo, as orlas das praias e os shoppings foram fechados e só funcionaram os estabelecimentos que prestam serviços essenciais, como farmácias e supermercados. A circulação de pessoas nas ruas ficou limitada exclusivamente para aqueles que prestam serviços essenciais ou precisaram se deslocar em caso de emergência. 

As forças de segurança do RN atuaram em todo o estado fiscalizando o cumprimento do decreto. Pelas câmeras do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (CIOSP) foi possível realizar um monitoramento em tempo real das ruas, de modo que pontos de aglomerações não foram identificados. 

O endurecimento das medidas de combate à covid-19 e o consequente aumento do índice de isolamento social ocorre no momento em que o RN apresenta uma pressão de casos da doença e uma alta na ocupação dos hospitais. Segundo a última atualização da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), o estado potiguar contabiliza um acumulado de 172.283 pessoas infectadas pela covid-19, enquanto que 3.734 potiguares já perderam a vida por causa da doença. 

A situação nos hospitais segue crítica. O Regula RN, sistema que monitora a ocupação das unidades, mostrou que, nesta segunda-feira (8), a taxa de ocupação geral de leitos críticos está em 94,6%. A região Oeste enfrenta a situação mais grave, já que chegou a 100% de leitos ocupados. A Metropolitana tem 94,7% de ocupação e o Seridó está em 80,6%. 

Há 548 pacientes internados nos hospitais e outros 110 na fila de espera por uma vaga, dos quais 86 necessitam de um leito de UTI ou semi-intensivo. Dos 22 hospitais que atendem pacientes para tratamento da covid-19, 18 estão com todos os leitos ocupados. 

Portal da Tropical