Ceará tem queda de 46% na taxa de internação de idosos após vacinação contra a Covid-19, diz Sesa

vacinação em prevenção à Covid-19 no Ceará começa a resultar em impactos positivos para a rede de saúde. Pelo menos é o que se observa após o Estado anunciar nesta quinta-feira (11) uma redução de 46% na taxa de internação da população idosa vacinada, em comparação a de não imunizados. O resultado compreende a faixa etária acima de 70 anos. 

Mais cedo, durante inauguração de 37 leitos de enfermaria no Hospital Geral Dr. Waldemar Alcântara (HGW), o secretário da saúde do Estado, Dr. Cabelo, tinha citado percentual de 42%.

Segundo o levantamento, a taxa de incidência de internação entre os vacinados foi de 4,68 por 1.000 pessoas imunizadas e entre os não vacinados foi de 8,67 para cada 1.000 pessoas não vacinadas.

Foi verificado que as pessoas não vacinadas têm um risco 1,85 vezes maior de serem internados se comparados aos vacinados, com intervalo de confiança significativo de 95%.

O estudo estimou uma população, a partir de 70 anos no Ceará, de 524.922 pessoas para a análise. Destes, 85% estão suscetíveis a uma primeira infecção pelo coronavírus, estima a Sesa.

A Sesa ressalta, no entanto, que a maior parcela dos idosos já vacinados têm 75 anos ou mais. Entre 70 e 74 anos, foram vacinados os institucionalizados ou profissionais de saúde.

Segundo Dr. Cabeto, o resultado faz parte de estudo realizado em parceria com a Universidade Federal do Ceará (UFC). “Além disso, temos um risco daqueles que se vacinaram muito menor de complicação grave do que aqueles que não tinham se vacinado. Isso mostra a importância da população aderir à vacinação, como ela está aderindo”, disse o secretário da saúde.

Diário do Nordeste