Bolsonaristas impedem passagem de van com oxigênio em Goiás

Funcionários do hospital rezaram após chegada dos cilindros de oxigênio

Uma equipe de um hospital em Bela Vista de Goiás, na Região Metropolitana de Goiânia, passou por momentos de apreensão na última segunda-feira (15/03). Isso porque o estoque de oxigênio da unidade de saúde estava no fim, faltando apenas oito minutos para acabar. Em meio à tensão, a van que levava cilindros do gás para repor o estoque do hospital estava presa em um protesto de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Naquela tarde, a unidade de saúde estava com 11 pacientes com COVID-19 internados na enfermaria e que precisavam do auxílio do oxigênio para respirar. De acordo com o jornal “O Popular”, faltavam apenas oito minutos para o gás chegar ao fim na unidade de saúde.

A reposição já havia sido solicitada e estava a caminho, mas o veículo com os cilindros acabou ficando preso em um protesto feito por bolsonaristas, que reclamavam de um decreto da Prefeitura de Goiânia que restringiu o funcionamento de atividades não essenciais por mais 14 dias. Estabelecimentos do tipo já estavam fechados antes, na tentativa do Executivo municipal de conter o avanço da COVID-19.

A van ficou parada em um bloqueio na BR-153, no perímetro urbano de Goiânia. O motorista do veículo, então, conseguiu convencer outros motoristas a abrir caminho para que pudesse chegar até os manifestantes. Alguns foram contra a passagem do oxigênio, mas parte dos manifestantes abriu espaço para o automóvel passar. Ao todo, o percurso entre Goiânia e Bela Vista de Goiás levou 3h20 para ser feito.

Com a chegada da van faltando oito minutos para que o estoque de cilindros acabasse no hospital, funcionários da unidade de saúde que antes estavam aflitos, passaram a rezar, emocionados. 
“Os funcionários estavam assustados e apreensivos, eu também estava. O hospital inteiro estava lá, batendo palmas. Eu me arrepiei todo, aquilo para mim foi gratificante, emocionante, de verdade. Foi lindo”, disse o motorista, ao “G1”