General Joaquim Silva e Luna assume a Petrobras

Silva e Luna foi o primeiro militar a exercer o cargo de ministro da Defesa, no governo do ex-presidente Michel Temer (Bruno Rocha/Fotoarena/Folhapress)

O presidente Jair Bolsonaro anunciou que pretende demitir o presidente da PetrobrasRoberto Castello Branco, e indicou para o cargo o general Joaquim Silva e Luna. O atual presidente, Roberto Castello Branco, está na posição desde 3 de janeiro de 2019 — quando havia sido indicado pelo atual Ministro da Economia, Paulo Guedes.

General da reserva do Exército, Silva e Luna foi o primeiro militar a exercer o cargo de ministro da Defesa, no governo do ex-presidente Michel Temer. Em 2019 assumiu a presidência da usina binacional de Itaipu.

A EXAME apurou com uma fonte da Petrobras que Castello Branco não foi comunicado por Bolsonaro de sua demissão. O presidente da Petrobras está em regime de home office em Petropólis, região serrana do Rio. Ele havia deixado claro que não pediria demissão do cargo diante da crise instalada pelo aumento do preço da gasolina. A informação foi divulgada em uma nota, publicada em rede social.

A mudança, se confirmada, acontecerá pouco tempo depois de o presidente Bolsonaro ter criticado o reajuste divulgado pela Petrobras e citado a possibilidade de uma “consequência” para a estatal. O chefe do Executivo disse que “jamais” iria interferir na política de preços da empresa, mas cobrou previsibilidade nos reajustes dos preços dos combustíveis.

A indicação do nome de Silva e Luna precisa, no entanto, ter aprovação do conselho de administração da Petrobras. Bolsonaro não tem poder formal para demitir Castello Branco. A decisão cabe ao conselho, formado por membros indicados pelo governo, mas que atuam com independência. O conselho deve se reunir na terça-feira, 23, e deve discutir a troca.

Fonte: Exame