Morre professora que foi arremessada de brinquedo no Mirabilandia

Dávine Cordeiro morreu nesta quinta (1º) – (Foto: Arquivo)

Ela foi arremessada de um brinquedo do Parque Mirabilandia, em Olinda, em setembro do ano passado, e estava internada desde então.  A morte dela foi confirmada pela família, em contato com a equipe do Diario de Pernambuco.   

Segundo os parentes, o enterro dela será realizado no Cemitério Parque das Flores, no Sancho, na Zona Oeste.  Dávine sofreu graves ferimentos na cabeça e passou por dez cirurgias.

Ela foi levada, primeiro, para o Hospital da restauração (HR), no Derby, no Recife. Depois, ficou internada no Hospital São Marcos, na mesma região. Por fim, teve que ser transferida para o Hospital da Hapvida, na Ilha do Leite, onde  morreu, durante a madrugada. 

Em 11 de janeiro deste ano, os parentes de Dávine concederam uma entrevista, após a transferência para o Hapvida, e disseram que a “situação era considerada muito grave”.

Ela perdeu praticamente quase a metade do lado direito do cérebro. E isso “comprometeu bastante”, segndo o primo dela, Ricardo Lima.

”O quadro dela continua gravíssimo. Ela não responde a nenhum estímulo, é possivelmente 99,9% de que seja irreversível’’, declarou, na época. 

O acidente de Dávine também ficou marcado por uma disputa jurídica entre a família dela e a administração do Mirabilandia. 

A família queria que o parque pagasse o tratamento dela.  O Mirabilandia recorreu por não querer custear os procedimentos médicos.

Os parentes da professora chegaram a fazer uma arrecadação virtual para conseguir dinheiro. 

Procurada pelo Diario de Pernambuco, a assessoria de comunicação do Hapvida disse que “a operadora não pode compartilhar informações dos pacientes sem autorização da família e, neste caso, a família da paciente não autoriza. Toda comunicação a respeito dela é feita via familiares”. 

Diário de Pernambuco