Homem compra casa com dinheiro de indenização por prisão injusta

Foto: reprodução TV Globo

O Fantástico deste domingo (31) mostrou um erro de 32 anos que começou a ser reparado agora pela Justiça de Goiás. A vítima é Albino de Souza, que foi preso em Anápolis no ano de 1991 acusado, sem provas, de estuprar e matar uma mulher. Ele foi confundido com o assassino e acabou preso e torturado.

A prisão aconteceu dia 18, mas ele só foi liberado dia 21, dia que apareceu o verdadeiro culpado. Depois de passar quatro dias numa cela, Albino foi solto – e procurou a Justiça. Foram 18 anos de insistência diante dos tribunais tentando provar o erro do Estado.

Os advogados de Albino entraram na Justiça em 1995, quatro anos depois da prisão. E só em 2013, o Superior Tribunal de Justiça decidiu a favor da indenização. Mas durante essa espera, Albino e os advogados perderam contato. E começou uma longa busca. Durante 10 anos, os advogados Pedro Sérgio e Miguel Thiago, vasculharam a cidade para localizar o paradeiro de Albino. Só o encontraram este ano.

Acontece que ele não tinha documentos, perdidos em uma enchente e vivia em situação de rua. No reencontro com os advogados, Albino teve a oportunidade de tirar a segunda via da documentação e abrir uma conta no banco para, finalmente, receber a indenização.

“Hoje começa uma nova história. (…) Agora estou me sentindo uma pessoa mais brasileira, que todo mundo vai chegar e observar e falar: ‘não, ele tem documento, ele é gente agora. Não um bicho'”, completa Albino.

Sua nova casa foi comprado com o dinheiro da indenização e ele diz que sua vida mudou com esse novo passo. O que ele reconsquistou não vai apagar a injustiça que sofreu há 32 anos, mas oferece a ele a oportunidade de sonhar por uma vida nova em 2024.

“Eu vou continuar a minha vida, entendeu? Meu trabalho, na honestidade, que eu tenho certeza o que eu quero fazer eu vou fazer”, diz Albino.

Fonte: g1