Sesap pede que prefeituras aprimorem suas redes para desafogar Walfredo Gurgel

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) soltou uma nota nesta sexta-feira 28 em que presta contas de ações adotadas para diminuir a superlotação no Hospital Walfredo Gurgel, o maior da rede pública potiguar. Segundo a pasta, contudo, as ações não têm sido suficientes devido às falhas na assistência em municípios, especialmente na Região Metropolitana de Natal.

De acordo com a Secretaria de Saúde, a capacidade de realização de cirurgias ortopédicas cresceu 15% na rede estadual nos anos recentes, como parte de um esforço para diminuir a sobrecarga sobre o Walfredo. Após a reestruturação, foram mais de 10 mil atendimentos realizados apenas no primeiro semestre deste ano na rede toda.

Mesmo assim, enfatiza a Sesap, o Walfredo continua superlotado, com pacientes nos corredores. No intervalo de um mês, o hospital realizou 585 procedimentos ortopédicos, o que dá uma média de 20 por dia. Ao mesmo tempo, a Sesap ampliou o fluxo das unidades de retaguarda para cirurgias ortopédicas, como o Hospital Deoclécio Marques de Lucena, a Prontoclínica Paulo Gurgel e o Hospital Memorial, que hoje também estão atuando em capacidade material e profissional máxima.

“As informações indicam que a grande maioria dos pacientes são provenientes de municípios da Região Metropolitana, muitos dos quais chegam ao hospital por demanda espontânea e com casos clínicos de baixa complexidade que fogem do perfil do Walfredo Gurgel, em virtude da falha na cobertura da rede ortopédica nesses municípios”, declarou a Secretaria de Saúde, em nota.

A Sesap enfatiza que “o fluxo montado para absorção da demanda vem funcionando periodicamente, o que fez com que os corredores do Walfredo Gurgel estivessem vazios por diversos meses desde o fim de 2022, como foi constatado pelo Ministério Público”.

“No entanto, como denotam os dados e informações, a situação episódica atual não se soluciona definitivamente por um esforço único da Sesap. Portanto, a Secretaria torna a destacar a necessidade de um trabalho dos municípios, dentro da lógica de cooperação que rege o SUS, na estruturação de serviços para baixa complexidade ortopédica, mantendo a capacidade do Walfredo Gurgel totalmente voltada aos atendimentos de alta complexidade”, afirma o governo.

Fonte: Agora RN

Copy link