Idoso com tumor gigante no rosto não consegue cirurgia nem com decisão judicial

A fila de dezenas de milhares de pessoas aguardando cirurgias na rede pública de saúde do Rio Grande do Norte tira, muitas vezes, a sensibilidade das histórias – e dos dramas – particulares. Exemplo disso é a situação angustiante do idoso de 65 anos, que tem um tumor gigante no rosto e e

O caso foi mostrado pela InterTV Cabugi e pelo G1 RN. O senhor José Nilton Cardozo aguarda na fila de regulação pelo procedimento pelo menos desde o mês de março. No mês de junho, a Justiça do RN determinou, em decisão liminar, que a Secretaria de Estado do RN (Sesap) viabilize de maneira urgente “o procedimento médico pré-operatório de embolização de tumor intracraniano, fornecendo o material convencionalmente disponibilizado pelo SUS”.

A Sesap informou que o procedimento cirúrgico do paciente é de responsabilidade do Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL), por ser de alta complexidade. A pasta informou que equipe de regulação enviou os dados necessários ao HUOL, que por sua vez aguarda o material específico adaptado, que deve chegar do Piauí.

O HUOL informou que recebeu a demanda e deu início às aquisição dos materiais específicos para a realização do procedimento. A previsão de entrega do material, dada pela empresa licitante, é na próxima semana. Após a chegada do material, será feito o agendamento da cirurgia.

O marceneiro José Nilton Cardozo tem um tumor intracraniano, com diagnóstico de aumento descontrolado na fossa infratemporal direita.

stá lutando para realizar uma cirurgia que, mesmo com decisão judicial, ainda não foi feita.

TUMOR É BENIGNO

O diagnóstico é de meningioma, um tumor benigno que se origina a partir das membranas que recobrem e protegem cérebro. Por conta do tumor, o idoso já teve surdez em um dos ouvidos.

Os meses mais recentes de José Nilton Cardozo têm sido de muitas dores e muita medicação. Segundo a família, ele chega a tomar mais de 15 doses de morfina por dia.

“Hoje [quinta] aumentou mais 6 morfinas. São 18 morfinas. Isso não tem condições. Como o estômago aguenta uma coisa dessa? Ele fica passando mal toda hora”, lamenta a irmã Cerize Maria Cardozo.
“Sinceramente não dá pra explicar [a dor], porque é fora do controle do ser humano. Só o Senhor que está me sustentando. Amanheci o dia em claro hoje [quinta]. É uma coisa que não se explica. Pra quê tanto sofrimento assim? E às vezes eu penso que eu fui uma pessoa de só fazer o bem”, diz José Nilton.

A família ajuda como consegue o idoso, mas também sofre ao vê-lo nessa situação. “A gente o vê nesse estado, quer fazer alguma coisa e não consegue, porque a gente fica fazendo de tudo para agradá-lo, para ver se ele se consola. Mas a gente não sabe nem o que dizer. É muito triste o que a gente está passando”, lamentou a mãe Maria Macena, de 86 anos.

Portal 96 FM

Copy link