Governo precisa de R$ 490 milhões para quitar piso dos professores

Pedro Lopes, secretário de Administração do RN

Serão necessários R$ 490 milhões, aproximadamente, para o Governo do Estado do Rio Grande do Norte concluir a implementação do piso dos professores até 2024, nos moldes em que foi acordado em abril passado.

Naquele mês, os educadores acataram a proposta apresentada pela gestão da governadora Fátima Bezerra e encerraram a greve que se aproximava dos 40 dias.

“O impacto anual da implantação do percentual do piso 2023 (14,95%)  na carreira do magistério (professor e especialista de educação) do Governo do RN foi de R$ 587,3 milhões. Segundo o acordo, serão executados em 2023 R$ 310 milhões e a diferença será paga em 2024 em oito parcelas a partir do mês de maio”, informou o secretário estadual de administração, Pedro Lopes a Tribuna do Norte.

Pelo formato do acordo, os valores mensais variam. Lopes diz que, com base efetiva na implantação do piso, o que é pago até o momento por mês, representa R$ 25 milhões na folha. “É porque a aplicação para quem ganhava abaixo do piso começou em janeiro de 2023. Em maio implementou 7,21% para os demais integrantes da carreira”, explica o secretário.

O cronograma segue com o pagamento de mais 3,61% em novembro e outros 3,41%  em dezembro. “Esses percentuais foram estabelecidos no acordo  negociado com a categoria e passou constar na Lei Complementar nº 737/2023”, reforça o secretário.