Deputada é vítima de gordofobia e machismo na CPI do MST: ‘violência de gênero’

Deputada Sâmia Bonfim e deputado Coronel Zucco

O Presidente da CPI do MST, deputado Coronel Zucco (Republicanos-RS) perguntou à deputada Sâmia Bomfim (PSOL-SP) se ela queria “um remédio, um calmante ou um hambúrguer para se acalmar”, durante uma reunião do colegiado nesta quinta-feira (3). 

Talíria Petrone (PSOL-SP) e Fernanda Melchiona (PSOL-RS) acusaram o parlamentar de machismo e gordofobia e afirmaram que “não vão se intimidar”. 

Sâmia informou que irá denunciar o caso à Procuradoria Geral da República (PGR) por entender a situação como “violência de gênero”. 

O momento ocorreu durante depoimento de José Rainha, líder da Frente Nacional de Lutas (FNL). Rainha reconhecia que “tem relações políticas e fraternas” com Sâmia. A parlamentar utilizou o microfone desligado, fora do seu momento de fala, e ouviu este questionamento de Zucco. 

Sâmia alega ainda que a ironia de Zucco é constantemente repetida por homens nos corredores da Câmara, nas redes sociais e nas sessões da CPI do MST.

Diário do Nordeste

Copy link