Cesta básica fica mais barata em dez das 17 capitais pesquisadas, aponta Dieese

O preço da cesta básica caiu em dez das 17 cidades pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) entre maio e junho. Goiânia (5,04%), Brasília (2,29%) e Vitória (2,08%) foram as capitais que registraram as maiores reduções, enquanto Recife (5,79%), Natal (5,00%), João Pessoa (4,12%) tiveram as maiores altas.

No Rio, a queda foi de 1,17%, mas a capital fluminense ainda tem um dos conjuntos de itens essenciais mais caros (R$ 741, em média), o quarto do ranking. São Paulo foi a capital onde a cesta tinha o maior custo (R$ 783,05), o que consome 64% do salário mínimo (R$ 1.320). Em seguida aparecem Porto Alegre (R$ 773,56) e Florianópolis (R$ 771,54).

Já na comparação com o mesmo período do ano passado, 13 capitais tiveram aumento de preço, principalmente em Belém (4,37%), no Rio (3,92%) e em Natal (3,35%).

  1. São Paulo – R$ 783,05
  2. Porto Alegre – R$773,56
  3. Florianópolis – R$ 771,54
  4. Rio de Janeiro – R$ 741,00
  5. Campo Grande – R$ 730,19
  6. Curitiba – R$ 701,22
  7. Vitória – R$ 691,34
  8. Brasília – R$ 687,33
  9. Goiânia – R$ 669,39
  10. Fortaleza – R$ 661,16
  11. Belém – R$ 659,89
  12. Belo Horizonte – R$ 656,02
  13. Natal – R$ 632,27
  14. Recife – R$ 621,14
  15. João Pessoa – R$604,89
  16. Salvador – R$ 595,84
  17. Aracaju – R$567,11

Extra/Globo