UBSs de Parnamirim estão sem atendimento médico; UPA segue lotada

A cidade de Parnamirim enfrenta dificuldades na área da saúde. Além do problema de lotação na UPA, agora a população se depara com UBSs sem médicos. De acordo com a prefeitura, há contratação de profissionais. Devido ao surto de gripe, a procura pelo atendimento médico se tornou urgente.

Em dezembro do ano passado, devido à alta demanda, a prefeitura fechou uma UPA para atender apenas casos graves. Atualmente, a unidade tem cinco pacientes internados por Covid. 

O diretor da UPA de Nova Esperança, Henrique Costa, esclareceu que a Unidade de Pronto Atendimento Maria Nazaré Silva dos Santos, localizada no bairro Nova Esperança, se encontra ainda em situação de lotação: “Temos 30 pacientes internados e 8 em observação, seguindo a faixa de 30 a 36 pacientes entre internados e em observação”. 

No último mês, o município reconheceu que a UPA de Nova Esperança passou do limite de sua capacidade, que é de 28 leitos. “Temos atendido as pessoas normalmente, mas a UPA está lotada”, salientou o diretor da unidade. 

De acordo com o diretor, na última reunião feita com a Secretaria Municipal de Saúde (Sesad), a pasta comunicou que todas as 56 Equipes da Saúde da Família (ESF) possuíam médicos.  

No caso das UBSs, a população parnamirinense tem relato falta de atendimento médico nas unidades. Por causa do formato estabelecido, as UBSs só podem atender os morados dos bairros em que foram inscritos. A prefeitura comunicou que está contratando médicos, porém, não há demanda de profissionais para as vagas em aberto. 

Fonte: Potiguar Notícias