Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi)

No mês de maio, o Rio Grande do Norte registrou uma variação de 1,37% no preço médio do metro quadrado na construção civil. Esse percentual foi inferior ao da média nacional (2,17%), contudo a nível regional o RN ficou atrás apenas do Maranhão (3,22%) e Bahia (1,51%) entre os mais altos. Esses são dados do Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices de Construção Civil (Sinapi) do IBGE.

A pesquisa monitora as mudanças do custo do metro quadrado em valores percentuais em comparação com o mês anterior.Dessa forma, o estado potiguar teve seu custo médio total em 1.445 reais. Ainda abaixo do preço nacional (1.601 reais). Contudo, houve uma queda de duas posições no ranking de menor custo de construção do país em razão do Ceará (1.440 reais) e Alagoas (1.443 reais). Agora o estado figura na quinta colocação.

Importante lembrar que o RN já havia perdido a primeira e segunda colocação de menor custo para Sergipe e Pernambuco, respectivamente. Na composição desse custo, a parcela da mão de obra foi de 556,82 reais e o valor do componente material foi de 888,82 reais em março.

No ano, o RN acumula 9,57% de alta nos custos de construção civil, a maior entre todos os entes federativos juntamente com Mato Grosso até o mês de maio. Na variação percentual dos últimos 12 meses, o estado potiguar registrou um incremento de 17,82%.

O Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi) tem por objetivo a produção de séries mensais de custos e índices para o setor habitacional, e de séries mensais de salários medianos de mão de obra e preços medianos de materiais, máquinas e equipamentos e serviços da construção para os setores de saneamento básico, infraestrutura e habitação.

Os preços e custos auxiliam na elaboração, análise e avaliação de orçamentos, enquanto os índices possibilitam a atualização dos valores das despesas nos contratos e orçamentos.

Qual sua opinião?