Mulher acusa Marcelinho e ex-cartola do Santo André de calote em hospital

Fonte: UOL

Um dos maiores ídolos da história do Corinthians, Marcelinho Carioca foi acionado na Justiça por uma mulher que o acusa de não pagar o tratamento hospitalar da própria mãe, Sueli, que morreu em 2009. Claudia Ferreira afirma que ela arcou com as despesas do tratamento da mãe de Marcelinho e cobra R$ 123 mil do ex-jogador.

No processo, Claudia Ferreira diz que era advogada de Ronan Maria Pinto, ex-presidente do Santo André. Ela diz que atendia os clientes do cartola e resolvia suas questões particulares e de terceiros ligados a ele, sem receber extra por isso. Entre essas pessoas estava Marcelinho, que defendeu o Santo André no fim da carreira, de 2007 a 2009.

Na época, Sueli estava internada no Hospital do Câncer. A advogada alega que Ronan pediu para transferir a mãe do ex-jogador para o Hospital Sírio Libanês, já que seu estado de saúde tinha se agravado. Segundo a advogada, Marcelinho estava em concentração e não podia acompanhar a mãe doente. Assim, Ronan pediu que ela resolvesse a situação, assinando contratos médicos como avalista e bancando o atendimento emergencial.

“Marcelinho Carioca, na época jogador do Santo André, não poderia ser incomodado, menos ainda, ficar preocupado com esse assunto”, alegou a advogada na ação. Ela mesma disse ter acompanhado a transferência da mãe do atleta ao hospital, assinado o cheque caução.

Após a morte de Sueli, Claudia diz ter ficado com todos os custos médicos sob sua responsabilidade. Assim, foi acionada na Justiça pelo Hospital Sírio Libanês e condenada a pagar por todo o tratamento realizado.