Laboratório de DNA do Itep vai integrar Banco de Genética Nacional 

A governadora Fátima Bezerra esteve reunida, nesta quinta-feira (20), com técnicos da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). Os profissionais estão em Natal para uma visita técnica ao laboratório de DNA do Instituto Técnico-Científico de Perícia do Rio Grande do Norte (Itep-RN). O objetivo é habilitar o Laboratório de DNA para receber o Combined DNA Index System (Codis) e integrar o banco de genética nacional.

“O laboratório já está pronto, bem equipado e em funcionamento, mas, ainda tem de atender a requisitos da Comissão de Qualidade da Senasp, que é a última etapa antes da habilitação”, esclarece o perito criminal da Senasp, Vander Oliveira Jampaulo.

Ainda segundo o perito, o banco nacional conta com mais de 153 mil vestígios e já auxiliou em mais de quatro mil investigações. “Com o Codis vamos poder confrontar um vestígio coletado em uma cena de crime, com os que já estão cadastrados no sistema, conseguindo identificar mais rapidamente e facilmente uma autoria”, destacou o diretor do Itep-RN, perito criminal Marcos Brandão.

O Codis faz parte da Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos (RIBPG), instituída pelo Decreto nº 7950/2013, que foi criada com a finalidade principal de manter, compartilhar e comparar perfis genéticos a fim de ajudar na apuração criminal e/ou na instrução processual.

Trata-se de uma ação conjunta entre Secretarias de Segurança Pública (ou instituições equivalentes), Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) e Polícia Federal (PF) para o compartilhamento de perfis genéticos obtidos em laboratórios de Genética Forense.

O secretário de estado da Segurança Pública, coronel Francisco Araújo, ilustrou como a integração do laboratório aos dados de todo o país auxiliarão na solução de diversos casos. “Se alguém cometer um crime em São Paulo, por exemplo, e depois cometer outro crime em Natal, a partir da coleta dos vestígios genéticos vamos conseguir confrontar os materiais e identificar o suspeito”, explicou.  

Os perfis genéticos gerados pelos laboratórios da Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos (RIBPG) e que atendem aos critérios de admissibilidade previstos no Manual de Procedimentos Operacionais são enviados rotineiramente ao Banco Nacional de Perfis Genéticos (BNPG), onde são feitos os confrontos a nível interestadual com perfis gerados pelos 22 laboratórios de genética forense que compõem a RIBPG, bem como perfis encaminhados de outros países por meio da Interpol.

Além dos citados, também participaram da reunião, técnicos da Senasp, o vice-governador Antenor Roberto, o secretário Gustavo Coêlho (Infraestrtura), Marcos Brandão, diretor do Itep-RN e Fábrício Fernandes e Elias Guilherme, peritos criminais do laboratório de DNA do Itep-RN.

Copy link