Governo do RN lança projeto de Equoterapia durante a 1ª Festa do Cavalo

Atender crianças com necessidades especiais através da utilização do cavalo como método terapêutico. Este é o objetivo do Projeto “Equoterapia no Parque” lançado durante a 1ª Festa do Cavalo. Uma ação do Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e da Pesca (Sape), em parceria com a Escola Agrícola de Jundiaí/UFRN e a Associação Norte-Rio-Grandense de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ANQM). O evento foi encerrado neste sábado (14) com a presença da governadora Fátima Bezerra.

“Um projeto importante, de inclusão social, através de uma intervenção que traz diversos ganhos na linguagem, no relacionamento e na organização das crianças especiais”, avaliou a chefe do poder executivo estadual em referência ao projeto de Equoterapia que começará a funcionar em julho com dois dias de atendimento por semana.

Realizada no Parque de Exposições Aristófanes Fernandes, em Parnamirim, a 1ª Festa do Cavalo, que teve início nesta sexta (13), é uma realização do Governo do Estado por meio da Sape, em parceria com a Anorc, a Assembleia Legislativa e Associações de Criadores de Cavalo.

“A semente está lançada. Essa será a primeira de muitas que virão. Uma forma também de dinamizar a utilização desse espaço, muito bem localizado, palco da maior festa agropecuária do Brasil, que é a Festa do Boi. Agora, também, abrigará a Festa do Cavalo”, afirmou a governadora.

Com investimento em torno de R$ 150 mil, o evento está inserido no calendário de exposições que foi retomado este ano após dois anos sem a realização em virtude da pandemia do Coronavírus.

O Circuito já esteve no município de Currais Novos e São Paulo do Potengi e ainda passará por 23 cidades potiguares.

“Estamos fazendo três coisas fundamentais aqui. Primeiro dar mais uso ao Parque de Exposição, que fica dentro da região metropolitana, mas pouco usado. Segundo, estamos reconhecendo tudo que o cavalo faz, a questão dos empregos, da qualidade genética desses animais. E terceiro, a questão da Equoterapia”, ressaltou o secretário da Sape, Guilherme Saldanha.

Qual sua opinião?