Em reunião organizada por prefeito de Natal, empresários sugerem burlar lei e assediar funcionários a votar em Bolsonaro

O prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB), organizou um encontro fechado com empresários na tarde desta quinta-feira (20), no horário de expediente, em um hotel da zona Sul de Natal. Em pauta, o apoio à reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL) e estratégias de como aumentar os votos do presidente na capital potiguar. Em diversas falas, os empresários sugeriram modos de tentar convencer seus funcionários a votar no candidato, apesar dos riscos de exposição na mídia e de serem acusados de assédio eleitoral, como relataram.

Entre os participantes, também estavam integrantes do primeiro escalão do governo Álvaro Dias, como o secretário de turismo Fernando Fernandes, o vereador Kleber Fernandes (PSDB) e o Coronel Hélio Oliveira. Na plateia, dentre outros, o secretário de infraestrutura, Carlson Gomes. Álvaro Dias só deixou o local após às 17h alegando compromisso em Caicó.  

Agência SAIBA MAIS  conseguiu entrar no evento, divulgado apenas entre empresários e militantes bolsonaristas, e gravou as falas. Parte do conteúdo está divulgado nesta reportagem. Durante o encontro, empresários deram dicas de como enganar o Ministério Público do Trabalho e até debocharam da impunidade caso fossem flagrados e presos.

Lula venceu no Rio Grande do Norte com 62,98% dos votos. Jair Bolsonaro ficou em 2º lugar, com 31,02%. Em Natal, a diferença foi menor. O ex-presidente Lula venceu com 50,15% dos votos e Jair Bolsonaro obteve 42,01%.

Na reunião, o prefeito de Natal preferiu focar sua fala na própria gestão, listando os benefícios trazidos pelo novo Plano Diretor, as ajudas do Governo Federal à cidade e o seu apoio ao senador eleito Rogério Marinho (PL), que não participou do evento. 

“Eu disse aqui em Natal, nas reuniões com secretários, com cargos de confiança, nas reuniões nos bairros, nos comícios onde eu fui, eu disse: ‘olha, o candidato não é Rogério Marinho. O candidato a senador aqui em Natal sou eu. Vocês vão votar não em Rogério, vão votar no prefeito da cidade. Vocês me ajudem, porque Álvaro Dias no Senado Federal, Natal tem muito a lucrar com isso, a avançar, caminhar em direção ao futuro’”, apontou o prefeito. 

“Realmente esse discurso funcionou, porque a maioria que era de 160 mil votos, terminou em minguados 2 ou 3 mil votos, quase empatada para Rogério Marinho aqui em Natal”, disse, sobre o resultado das urnas contra o ex-aliado Carlos Eduardo (PDT). Na capital, o pedetista teve 163.778 votos, contra 160.575 do bolsonarista Rogério.

Após isso, o prefeito saiu para uma reunião em Caicó com lideranças do Seridó. O que seguiu foram discursos com ataques à imprensa, comparações de que a esquerda “persegue” bolsonaristas como os nazistas faziam com os judeus e, principalmente, estratégias para convencer os funcionários a voltarem em Bolsonaro e despistar a fiscalização do Ministério Público do Trabalho, que poderia apontar assédio eleitoral contra empregados.

Matheus Feitosa, presidente da Associação dos Empresários do Bairro do Alecrim (AEBA), disse que ver gente votando em Lula (PT) é um “absurdo”, e temeu possíveis “retaliações da mídia” caso fossem flagrados convencendo os funcionários a votar em Bolsonaro. Se referindo a uma medida do Governo do RN para cadastrar imóveis privados e públicos que não cumpram função social, novamente classificou como “absurdo”.

“A gente tem que compartilhar essas informações com nossos colaboradores, com nossos funcionários da nossa residência, com quem for. Nossos familiares que ainda estão indecisos ou que dizem que vão votar em Lula. Isso é um absurdo que a gente não pode aceitar que aconteça na próxima gestão. Então a gente tem que unir forças, como o prefeito disse aqui, os secretários, coronel Hélio. Muitas vezes a gente já deu voltas no bairro do Alecrim, com General Girão também, para convencer os empresários a conversarem com suas equipes”, apontou.

Leia matéria completa no portal Saiba Mais

Fonte: Agência Saiba Mais