Busca por qualificação em energia eólica triplica no RN; nível supera pré-pandemia

(Foto: Alex Régis/ Folhapress,

A busca por qualificação em energia eólica, em 2021, superou em mais de três vezes o nível registrado pré-pandemia no Rio Grande do Norte. E a tendência para os próximos anos é de continuidade na curva de crescimento.  A análise faz parte de um levantamento divulgado, nesta quarta-feira (26), a partir de matrículas realizadas nos últimos três anos pelo Centro de Tecnologias do Gás e Energias Renováveis (CTGAS-ER), do SENAI no Rio Grande do Norte.

Cursos presenciais e a distância relacionados à atividade atraíram 1.105 pessoas, entre janeiro e dezembro de 2021, ante 330 em 2019. Em 2020, o contingente chegou a 764. Números da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), divulgados pela Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), confirmam que o setor está aquecido. 

De acordo com os dados, o Brasil registrou no ano passado “o maior incremento da história em capacidade instalada de energia eólica” e o Rio Grande do Norte, o maior produtor desse tipo de energia no país, foi o estado que mais puxou esse crescimento. Dos mais de 3 Gigawatts (GW) instalados no país no período, 44,19%, ou 1,35 GW, foram implantados em território potiguar. 

“Iniciamos 2021, no estado, com aproximadamente 5 Gigawatts (GW) em capacidade instalada construída nas últimas duas décadas, e fechamos o ano com mais de 6 GW. Há um movimento de forte expansão e perspectiva de que a alta continue, com a demanda por pessoas qualificadas também muito intensa pelo menos até 2025, considerando os projetos que já estão contratados”, observa Rodrigo Mello. 

Tribuna do Norte