Medo de desabastecimento faz motoristas formarem filas em postos do DF

Os bloqueios ou tentativas de paralisação de caminhoneiros em rodovias federais registrados na noite desta quarta-feira (8/9) provocaram uma grande corrida aos postos de combustíveis do Distrito Federal no início da madrugada desta quinta-feira (9/7).

Em Águas Claras, por exemplo, condutores formaram longas filas nos estabelecimentos situados às margens da EPTG. Em Samambaia Norte, também houve registro de dezenas de veículos para encher o tanque. No centro de Taguatinga, o cenário foi o mesmo.

O movimento é organizado por caminhoneiros autônomos, um dia após manifestantes pró-governo pedirem, dentre outras pautas, o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Congresso Nacional, em diversos atos pelo país. Além desses temas, os motoristas que aderiram à paralisação cobram a redução dos impostos e do preço dos combustíveis.

Boletim emitido no fim da noite desta quarta pelo Ministério da Infraestrutura, com dados da Polícia Rodoviária Federal, revela que o quadro se deteriorou rapidamente durante o dia. No início da tarde, havia registros de problemas em quatro estados. Na nota sobre a situação às 20h30, contudo, o número de estados com pontos de concentração em rodovias federais chegou a 14 estados, dos quais 12 “com abordagem a veículos de cargas”. Às 22h30, o número foi a 16: Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Espírito Santo, Mato Grosso, Goiás, Bahia, Minas Gerais, Tocantins, Rio de Janeiro, Rondônia. Maranhão, Roraima, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Pará.

Fonte: Metrópoles