Em estreia perfeita, Brasil goleia China em abertura das Olimpíadas

Foto: Estadão

A estreia do Brasil em Tóquio foi brilhante. No embalo de Debinha e Bia Zaneratto, a seleção brasileira feminina de futebol goleou a China por 5×0. Apesar de sofrer em alguns momentos e contar com o boas defesas de Bárbara, além da ajudas das traves, a seleção verde amarelo largou muito bem e lidera seu grupo com folga. A craque Marta também fez sua parte e anotou dois gols.

O jogo começou tenso, com a China marcando muito em cima, buscando roubar a bola ainda no campo de ataque. Com um time muito habilidoso, o Brasil conseguia driblar a marcação e saia jogando muito bem. Não demorou muito para a seleção canarinho se impor em campo.

No embalo de Debinha e Bia Zaneratto, dupla de ataque na estreia, o time verde e amarelo se achou em campo e passou a pressionar. Tanto que, aos oito minutos, as duas aprontaram a primeira para cima das chinesas. Após roubada de bola pela esquerda, Bia avançou e cruzou para área. Debinha venceu a zagueira e cabeceou no travessão. No rebote, a camisa 16 brigou com a marcação e a bola sobrou para Marta, livre, marcar o primeiro gol do Brasil nas Olimpíadas.

A parceira no ataque ainda tinha muito a oferecer. Aos 21, após lateral, Bia fez bela jogada pela direita, passou por três marcadoras e chutou forte. A goleira Peng Shimeng caiu bem para fazer a defesa, porém espalmou para o meio, nos pés de Debinha, que só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes e aumentar a vantagem brasileira no placar.

O Brasil controlava o jogo e comandava as ações do jogo, principalmente com a dupla de ataque, que dava muito trabalho para a zaga chinesa. A primeira vez que Bárbara precisou trabalhar foi aos 39 minutos de jogo. Após um chute de Zhang Xin, a goleira brasileira fez uma bela defesa de mão trocada.

Atrás no marcador, o intervalo fez muito bem à equipe chinesa, que voltou em cima do Brasil em busca do empate. Assim como no início do jogo, o segundo tempo também começou com as asiáticas pressionando.

Em seis minutos de jogos, a China chegou quatro vezes, duas vezes levando muito perigo ao gol de Bárbara. Na primeira, Wang Shanshan, capitã do time, foi lançada nas costas da zaga brasileira.
A camisa um fechou o caminho e impediu o drible. Pouco depois, a camisa 11 fez boa jogada pela direita e acertou a trave.

Pouco a pouco, o Brasil foi se recuperando no jogo e quase marcou o terceiro. Aos 13 minutos, Debinha girou para cima da marcação e chutou forte para o gol. Peng Shimeng fez boa defesa e a bola ainda bateu no travessão antes de sair em escanteio. Na cobrança, muita pressão brasileira, bate e rebate na área, mas a bola saiu em tiro de meta.

No embalo de sua capitã, as chinesas seguiam melhores e quase diminuíram o prejuízo aos 21. Após roubar a bola no campo de ataque, Wang Shanshan acionou Wang Shuang. A camisa sete viu a bem a infiltração de Zhang Xin, que livre, chutou colocado, no canto de Bárbara. Gigante no jogo, a arqueira brasileira fez a defesa e a bola ainda bateu na trave antes de ficar com o domínio verde e amarelo.

Fonte: Metrópoles